fbpx
Mundo Pop

Do pior para o melhor: a discografia de Lana Del Rey

Um dos nomes mais celebrados pelos fãs no line up do Lollapalooza 2020, em São Paulo, a cantora norte-americana Lana Del Rey vive o auge da sua carreira. Elogiada por ninguém menos que Taylor Swift, Lana vai apresentar ao público brasileiro, pela primeira vez, as belíssimas faixas do seu novo álbum: “Norman Fucking Rockwell”, no qual ela homenageia ídolos do rock como Dennis Wilson, saudoso baterista dos Beach Boys, na lindíssima “The Greatest”.

Advertisements
Rolling Stone

Nascida Elizabeth Woolridge Grant, em 1985, Lana costumava se apresentar no meio underground sob o codinome de Lizzy Grant, muito antes de seu clipe lascivo de “Video Games” estourar no mundo todo, revelando que, além de musa fashion, é uma cantora e compositora de mão cheia. E se você não pretende perder o show da Lana no ano que vem, por nada nesse universo, preparamos um pequeno ranking dos melhores álbuns desse talento da nova música pop.

Querendo ou não, são 6 ótimas razões para se conhecer (e amar) Lana Del Rey. Confira.

6- Ultraviolence 

Resultado de imagem para lana del rey ultraviolence album cover
Foto: Capa de Ultraviolence (Reprodução/Time)

Apesar de trazer uma das melhores faixas da sua carreira, “West Coast”, o segundo álbum da Lana Del Rey decepcionou quem esperava por um legítimo sucessor de “Born To Die”. Referências ao filme “Laranja Mecânica” e mesmo a produção hypada de Dan Auerbach (guitarra e vocal do The Black Keys). Já a capa opaca e preto e branca, normalmente um dos pontos fortes dos discos de Lana, também não ajuda.

5- Honeymoon

Foto: Capa de Honeymoon (Reprodução/Amazon)

A época do lançamento de “Honeymoon” ficou marcada pelas declarações polêmicas – para não dizer infelizes – de Lana Del Rey, que chegou a afirmar que “gostaria de estar morta”. O álbum nem de longe lembra as canções inspiradas da cantora. A exceção talvez seja “High by the beach”, na qual Lana se entrega de vez à preguiça, com um refrão chiclete que inspirou diversos memes quando o single foi lançado. 

4- Lust for Life 

Foto: Capa de Lust for Life (Reprodução/Amazon)

O álbum “Lust for Life”, de 2017, adivinhem, também teve nas polêmicas seu marketing maior, embora apresente uma Lana Del Rey como uma compositora muito mais consistente. No caso, a acusação de plágio, por parte da banda Radiohead, da música “Creep” (por sua vez, outro plágio da banda The Hollies). A faixa, em questão, é “Get Free” e os dois artistas chegaram a um acordo (mesmo que não revelado) quanto à execução da música.  

https://www.youtube.com/watch?v=yzP4kQhlPBY

3- Norman Fucking Rockwell 

Foto: Capa de Norman Fucking Rockwell (Reprodução/Instagram)

O mais recente álbum de Lana Del Rey tem grande potencial para arrebatar prêmios ao redor do globo, seja por conta da qualidade das músicas ou dos clipes – super criativos. A essa altura, Lana Del Rey já se tornou sinônimo de grife, com seus arranjos de cabelo e maquiagem de gatinha remontando aos anos sessenta.

No vídeo de “Doin’ Time”, Lana Del Rey se torna uma mulher gigante que anda tranquilamente pelos cartões postais dos Estados Unidos. Já na medley “Fuck it I Love You/The Greatest”, Lana se inspira nos Beach Boys e recria a Califórnia dos anos 60/70. Ótima fase para motivar o retorno ao Brasil e levar os fãs de carteirinha à loucura.

2- Born to Die

Foto: Capa de Born to Die (Reprodução/Vice)

O debut de Lana Del Rey representou a esperada transição do YouTube para o mainstream. Além de contar com o hit “Video Games”, “Born To Die”, de 2012, brindou o universo com sucessos épicos da cantora, como “Blue Jeans”, “Summertime Sadness” (remixada à exaustão), “National Anthem” e, claro, a faixa-título, “Born to Die” com um vídeo no qual Lana doma dois tigres. O disco foi muito trabalhado por Lana Del Rey, que se apresentou no Brasil pela primeira vez com as músicas dele na bagagem. Sem dúvida, a melhor fase da cantora.   

1 – Born to Die – The Paradise Edition (o melhor de Lana Del Rey) 

Foto: Capa de Born to Die Paradise Edition (Reprodução/Pinterest)

Com o sucesso global de “Born To Die”, Lana aproveitou tanto a onda que, antes de lançar o segundo álbum, resolveu colocar no mercado uma edição especial, dupla, do primeiro álbum. Além dos hits de “Born to Die”, The Paradise Edition apresentou um lado B até então pouco conhecido pelos fãs da cantora, revelando uma Lana Del Rey muito mais sacana, digamos assim, como na irreverente “Cola”. Fora de catálogo, essa edição é o must have dos fãs novatos.   

Bem, e agora que nós revisitamos toda a discografia da Lana Del Rey, você pode fazer aquele esquenta oficial para a performance do Lollapalooza, que acontece nos dias 3, 4 e 5 de abril, no autódromo de Interlagos. Ah, e é bom cuidar da voz, porque a diva adora quando os fãs a acompanham nos vocais. Fica a dica! 

E aí, curtiu esse conteúdo? Se inscreva na nossa newsletter e fique por dentro das últimas trends e concorra a prêmios.

Para não perder nenhuma dica, não deixe de seguir a Raczum no Instagram e Facebook.

Related posts
Mundo Pop

The Man: os bastidores do novo clipe de Taylor Swift

Depois de dividir o reinado da música pop com Billie Eilish em 2019, Taylor Swift já começou 2020…
Read more
Mundo Pop

Iggy Azalea no Brasil: vai perder?

Ela estava meio sumida, mas reapareceu com muito estilo – e música nova, é claro! Por isso…
Read more
Mundo Pop

10 motivos para não perder o show da Taylor Swift no Brasil

18 de julho de 2020. Uma data que já se tornou emblemática para os “Swifties” brasileiros.
Read more
Quem se inscreve fica por dentro primeiro
Inscreva-se agora, e faça parte da lista vip

Ao se inscrever, você receberá conteúdos exclusivos, em primeira mão, podendo ainda concorrer a prêmios e receber vouchers e cupons que você encontra só aqui com a gente na reStyle. Vamos nessa?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

bsNh94tQSkWzQ3cDL